quarta-feira, 29 de junho de 2011

Da série, casa dos sonhos

Minha paixão por arquitetura contemporânea me faz passar dias fuçando sites e mais sites, babando nas casas, nos projetos.
Por incrível que pareça, essa fica no Irã, mais precisamente na cidade de Karaj .
O projeto é dos arquitetos iranianos Makan Rahmanian e Kamran Heirati.
Com vocês, a Villa Kiani.








As fotos eu tirei daqui

terça-feira, 28 de junho de 2011

Dica da boa!

Quando o assunto é cabelos, eu levo a sério.
Quem me conhece sabe que não economizo no quesito capilar,  gasto mesmo.
Toda e qualquer novidade na área eu quero ter, invisto todo meu dinheirinho ( e as vezes o do marido) em prol de uma peruca mais lisa e mais brilhante.
Com o lançamento do Moroccanoil não foi diferente. Não contente em comprar o óleo, comprei a linha toda. Uso desde o ano passado .
Aqui no Brasil é um absurdo o que se cobra pela linha, caríssimo. O óleo que nos USA custa U$39,90 aqui sai por algo em torno de R$250.
Ok ok tem imposto e bla bla bla...
Enfim, voltando a dica, tem quem ache a linha cara até se comprar lá fora e é aí que eu entro com minha dica.
Ano passado descobri uma linha de "Argan Oil", o mesmo princípio do Moroccanoil, tudo é igual só que genérico. Descobri por acaso quando entrei com minha irmã numa lojinha perguntando se tinha o Moroccanoil e a vendedora indicou esse.
Agora em Nova York descobri que na Rickys tem toda linha da marca e por metade do preço do original.
Se eu já usei? OBVIO!!! e amo!
O cheiro é até melhor e a máscara de tratamento teve resultado melhor que o Moroccanoil.
Agora em NY a Bia achou o cheiro melhor também.
Enfim, a linha se chama One 'n Only Argan Oil e vale a pena ser testado.
Porque de cabelo eu entendo né?




domingo, 26 de junho de 2011

Para começar a semana

"Se algo for importante para você, você achará um caminho, se não for, achará uma desculpa"


Champagne quente nunca mais!

Viram o novo lançamento da Möet & Chandon, o Ice Imperial?
Pois é, novidade das boas, um champagne criado exclusivamente para ser servido "on the rocks", ou seja, com a boa e velha pedrinha de gêlo.
Uma notícia ruim?
Não vai ser lançado no Brasil, pelo menos por enquanto.
Então tá, quem viajar primeiro compra tá!


São João na Bahia!


Fui pra Salvador passar o feriado de Corpus Christi mas já voltei. Esqueci que esse ano caía junto com São João, cheguei em Salvador e encontrei uma cidade fantasma.
Juro que dava medo de andar pela cidade. Me sentia o Will Smith naquele filme que só sobra ele e o cachorro, sabe? Daí chega a Alice Braga e o filho pra conversar com ele.  Lembrei o nome; Eu, a Lenda!
Pois é, eu era a Lenda.
Só tinha eu e minhas irmãs e "mãinha" por lá, tudo vazio.
Vocês devem estar se perguntando o que houve na cidade. Não, um vírus letal não exterminou a população deixando apenas minhas irmãs e minha mãe porque nossa família desenvolve um antídoto natural que nos livra da morte lenta.
A cidade INTEIRA viajou pro interior pra curtir o São João.
Sim porque na Bahia São João é tão ou mais importante que carnaval. TODOS VIAJA!  (viaja no singular mesmo).
E eu gosto tanto de um forró, queria ter ido pro interior também mas, interior bom é interior longe, coisa de 5 ou 6 horas de viagem, aí é foda né?
Enfim, fiquei em Salvador 1 dia e fui embora pra Praia do Forte, lá tinha gente, tinha forró na praça com sanfoneiro e tudo mais.
Tava bão!
E daí lembrei de uma história que ocorreu muitos anos atrás num São João na Bahia, uma história tão surrealista que preciso dividir com vocês, mas não agora ta!
Juro que em breve eu conto, faço isso para manter a audiência !
Aguardem cenas dos próximos capítulos.
E por falar em forró, não existe nada mais lindo nessa vida do que esse.
Lindo, triste e uma dor de côrno de fazer pena. Clique aqui




segunda-feira, 13 de junho de 2011

O pum em Nova York

Durante minha estadia em Nova York cenas hilárias ocorreram. Talvez nem tão hilárias assim mas a gente ( eu e Bia) achava tudo muito engraçado e ria muito....nossa como a gente ria.
Bom, um desses dias a gente tava indo encontrar o Lú, meu amor e agora mais novo amor da Bia também. Estávamos andando pela 54th, rua do nosso hotel. E a gente tava lá, lindas, montadérrimas (sim, em NY eu me monto tá? não me julguem ) , arrasando nos modelitos, maquiagem perfeita, enfim...LINDAS!
E não é que cruza com a gente uma família? era um casal com uma criança e mais um adulto. Ok, isso seria uma cena comum na vida de qualquer transeunte não fosse o fato do cara ter soltado um PUM bem alto.
Olha, vou ser sincera, ele não soltou um pum, ele peidou mesmo. Sei que é feio falar assim mas foi tão alto e tão longo que me recuso a chamar aquilo de pum, era um peido puro e simples.
Achei que a Bia tivesse raspado o salto do Louboutin chic dela porque parecia algo assim, ou talvez uma moto que tivesse passado.
Mas vira a Bia e fala "Você ouviu isso? O cara soltou um pum!"
 E eu indignada "O queeeeeeee????????? aquilo foi um pum?"
Caímos na gargalhada e resolvemos virar pra olhar o tal porco.
O cara de pau tava lá, rindo muit e apontando pra gente acusando-nos de ter "peidado"
E a mulher dele acreditava na gente, apontava pra ele.
E a Bia gritava "NOOOOO,  IT WAS HIM "
Enfim, nem só de glamour foi nossa viagem viu, teve peidos altos no meio dela.
So queria que vocês soubessem.
beijos e boa semana

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Savage Beauty - Alexander McQueen

Eu precisava falar sobre McQueen no Met. Foi um dos pontos altos da minha viagem.
Não preciso dizer que eu estava louca pra ir ver a exposição, nem cogitava a hipótese porque Nova York não estava nos meus planos esse semestre. Como eu tinha lido que só iria até dia 07/08 acabei desencanando.
Quando apareceu a oportunidade de viajar foi a primeira coisa em que pensei.
A exposição é simplesmente D-E-S-L-U-M-B-R-A-N-T-E !!!
Superou todas as minhas expectativas.
Tudo, desde o cenário até a música foi pensado e só enalteceu as criações do maior gênio da moda mundial dos últimos tempos.
Enquanto você caminha pela exposição, fica mais claro o caráter sombrio da personalidade dele, beirando ao mórbido. Uma adoração pela morte, pelo sadomasoquismo, pelo gótico.
Tudo fruto de uma mente perturbada e genial.
Não se pode fotografar lá dentro e eu obedeci a risca.
As fotos abaixo foram retiradas daqui !







E como dizem os inlgeses: God save McQueen!

Sobre Nova York

Cheguei depois de uma semaninha por lá. Tava ruim , viu!
Minha viagem de última hora teve um sabor diferente, fui para me divertir e pronto.
Viajar para Nova York com uma amiga é diferente, a gente não tinha hora pra nada. Certos dias a gente nem entrava em loja, batia perna o dia inteiro e, lá pela madrugada, depois de chegar do jantar, a gente trocava os saltos por Havaianas e corria pra Duane Reade.
A Bia foi uma companheira ótima de viagem, ela ficava no quarto acordando até por volta de meio dia, durante esse tempo eu já tinha saído e feito mil coisas. Como boa amiga que sou eu chegava com o café dela quentinho. Isso sim é amiga né? Fala a verdade!
Meu lindinho Lú ficou com a gente o tempo todo, levou a gente ao Brooklyn para atravessar a ponte e comer pizza na Grimaldi's. Nossos planos foram por água abaixo quando vimos a fila da pizzaria e a travessia da ponte a pé foi trocada pelo táxi. Tomamos muitas cervejas e bateu medo de, no meio da ponte, a vontade de ir ao banheiro tomasse conta da gente.
Eu não gosto de dividir o Lú com ninguém, ele é meu e pronto. Dessa vez resolvi compartilhá-lo com a Bia e aí ferrou, os dois agarraram um amor que me deixou morrendo de ciúmes.
Tudo bem vai, nosso amor é mais antigo.
Tenho histórias boas dessa viagem, quem sabe conto alguma de vez em quando. Por enquanto ando ocupada, sem tempo para escrever.
Juro que quando tiver um tempinho volto e conto.
Então ficam as imagens, que valem mais do mil palavras.

Nós 

Eu e Bia 

A fila da Grimaldi's, Abercrombie perde!

Brooklyn bridge

Lu e eu